Língua, Memória e Identidade na VII Oficina de Gramática Tupi-Guarani

Na semana da Independência, dias 4, 5 e 6 de setembro, foi realizada a VII Oficina de Gramática Tupi-Guarani na escola indígena da Aldeia Piaçaguera em Peruíbe. A oficina faz parte do Projeto de Revitalização das Línguas Indígenas do Estado de São Paulo, coordenado pela FUNAI – Coordenação Regional Sudeste e desenvolvida em parceria com […]

Kamuri lança livros didáticos Nhandewa-Guarani

O evento Durante a 14ª Oficina de Gramática Nhandewa, ocorrida em 25/05/2017, foram lançados, na escola da Aldeia Nimuendajú (Terra Indígena Araribá, em Avaí – SP), os livros didáticos “Lições de gramática Nhandewa-Guarani (vol I)” e “Inypyrũ: Narrativa sagrada da criação do mundo”. Os livros agora publicados foram produzidos ao longo de dez Oficinas (1ª a 10ª […]

No Brasil ainda tem “índio”

Wilmar R. D’Angelis [1] Tudo indica que o termo “índio” entrou no vocabulário português por meio do uso espanhol, que assim designaram os habitantes da América desde o momento inicial da conquista. Na documentação portuguesa, no entanto, “gentio” e “bárbaro”, ao que parece, foram os dois vocábulos preferidos, ao menos no primeiro século de presença […]

Linguística e Indigenismo

Por interesse de muitos alunos da Linguística, mas também de jovens indigenistas e de alguns amigos índios aqui do Estado de São Paulo, e também por interesse e parceria da KAMURI o professor Wilmar D’Angelis, criou uma disciplina de Atividades Multidisciplinares (AM 68), na Unicamp, com o título de “Linguística e Indigenismo”. Foi aprovada no […]

Educação, pesquisa acadêmica e povos indígenas

Texto apresentado oralmente no Ciclo de Debates “Cotas étnico-raciais no PPGE da FE-UNICAMP”, em mesa com o tema “Educação e os povos tradicionais indígenas”, promoção da Frente Pró-Cotas Unicamp e APG. Campinas, Faculdade de Educação UNICAMP, 29.mar.2016 Quando se quer pensar em educação em sociedades indígenas no Brasil há pelo menos 3 nomes que não […]