Oficina do site indígena Nhandewa.org

Acaba de realizar-se o 2º Encontro do Site Nhandewa (www.nhandewa.org), nas dependências da Universidade do Sagrado Coração (USC), em Bauru.

O encontro integra as ações do Projeto de Revitalização das Línguas Indígenas do Estado de São Paulo, coordenado pela FUNAI – Coordenação Regional Litoral Sudeste (SP e RJ) e desenvolvidas em parceria com a UNICAMP (Projeto Web Indígena, do Grupo de Pesquisa Indiomas) e  Kamuri. Pela segunda vez a USC empresta seus laboratórios de informática, para receber os indígenas Guarani Nhandewa da aldeia Nimuendaju (Avaí, SP) para o desenvolvimento do site do seu povo.

Participantes da Oficina do Site Nhandewa na USC (Bauru)
Participantes da Oficina do Site Nhandewa na USC (Bauru)

A comunidade indígena Nimuendajú foi aldeada em 1906, na então “Povoação Indígena Araribá” (hoje, T.I. Araribá). Essa comunidade ficou conhecida internacionalmente desde 1914 quando o alemão Kurt Unckel escreveu sobre eles o clássico Os mitos de criação e destruição do mundo como fundamentos da religião dos Apapocúva-Guarani, publicado na revista Zeitschrift für Ethnologie (vol. 46. Berlin, 1914). O etnólogo, que ficou muito tempo entre eles foi por eles nomeado como Nimuendajú, nome que ele assumiu como próprio e que hoje nomina a aldeia.

Essa comunidade conta hoje com cerca de 100 pessoas, e pelo processo de aproximação com a sociedade brasileira foi deixando de falar a própria língua. Porém, desde o final dos anos 90 vem fazendo um esforço para recuperá-la e ensinar às gerações mais jovens.

A criação do site Nhandewa www.nhandewa.org faz parte desse esforço de manutenção da língua e fortalecimento da identidade dos Nhandewa.